Sintomas da AIDS – tudo o que você precisa saber para procurar ajuda médica


A AIDS é uma das doenças que mais provocam medo na sociedade atualmente. O principal problema é a falta de informação. Milhares de novos casos são diagnosticados a cada ano justamente por isso: falta de informação e preconceito. Neste artigo, você fica sabendo como identificar os sintomas da AIDS para procurar ajuda médica e iniciar o tratamento.

Pessoas soropositivas que recebem o tratamento correto contra o HIV conseguem viver com qualidade de vida. Acontece que, aqui no Brasil, segundo relatório da UNAIDS, de todas as pessoas que estão infectadas, 87% das pessoas foram diagnosticadas e apenas 55% estão em tratamento. Dessas, 50% já estão com carga viral suprimida.

sintomas da aids - prevenção
A melhor forma de ter certeza de que não está doente é se prevenindo: camisinha é obrigatório, não negociável!

Se você tiver suspeita, busque ajuda médica imediatamente. Não tenha vergonha.

Por que precisamos falar sobre AIDS

Primeiramente, por que não estamos mais nos anos 80. O trabalho diário de cientistas, pesquisadores, biomédicos e médicos tem trazido excelentes resultados na luta contra a AIDS. Infelizmente, por ela ser uma doença estigmatizada, esses resultados são pouco conhecidos pela população. Isso coopera para uma atmosfera de medo e preconceito ao redor da doença.

O que é AIDS?

A AIDS é uma sigla que significa Síndrome da Imunodeficiência Adquirida para a doença que acomete o sistema imunológico humano. Ela resulta da infecção pelo vírus HIV – Vírus da Imunodeficiência Humana.

Uma vez no corpo humano, o vírus HIV começa a atacar o sistema imunológico, principalmente os linfócitos T CD4+. Esses são os glóbulos brancos responsáveis na luta contra micróbios, vírus e bactérias que invadem o corpo humano para causar doenças.

sintomas da aids - infecção hiv
Vírus HIV na corrente sanguínea.

Enfraquecida, a pessoa infectada com o HIV fica suscetível a uma série de doenças oportunistas, desde gripes e resfriados até complicações mais graves como pneumonias, câncer e tuberculose.

Quando o sistema imunológico já não consegue combater essas doenças, a pessoa começa a ficar doente mais facilmente e o tratamento se torna cada vez mais difícil, é aí que a pessoa desenvolve a AIDS. Nesse caso, a luta contra o vírus é bem mais difícil e a pessoa tem menos chances de sobreviver.

Muita coisa mudou desde os anos 80

Ou seja, hoje em dia existem métodos bastante eficientes – e gratuitos – para o diagnóstico precoce do vírus HIV no organismo. Entenda bem: HIV não é a mesma coisa de AIDS. Uma pessoa soropositiva (infectada pelo HIV) vive por anos sem nenhum sintoma até desenvolver AIDS.

Outra informação que merece destaque é que HIV/AIDS não é só coisa de homossexuais. Segundo um relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2012, por exemplo, 86,8% das pessoas diagnosticadas contraíram o HIV de relações heterossexuais com seus parceiros. Mais da metade desses casos eram de mulheres. O sistema imunológico feminino é mais ativo que o dos homens, o que o torna mais vulnerável.

sintomas da aids - soropositivo
Pessoas podem ser soropositivas por grande parte de suas vidas e nem saber.

Outros aspectos que contribuem para essa taxa são de ordem cultural e social: ainda existe um grande preconceito com o uso da camisinha, tanto a masculina e principalmente a feminina. Além disso, casais em relacionamentos estáveis costumam suspender o uso de qualquer preservativo. Mulheres também estão mais vulneráveis a sofrer violência sexual.

Se você sofreu alguma situação de risco, procure ajuda médica imediatamente após a possível exposição ao HIV. Existe um tratamento chamado Profilaxia Pós-Exposição que consegue erradicar o HIV imediatamente após a infecção. Saiba mais aqui. 

Encontre os melhores médicos da sua região e agende suas consultas online.

Sintomas da AIDS – o que você precisa saber

É comum a confusão entre os sintomas da AIDS e a infecção pelo HIV, se desenvolve em 4 fases. Saiba diferenciar:

1ª fase – Incubação do HIV

Essa fase é a que acontece imediatamente após a infecção pelo HIV. Ela acontece após uma relação sexual (oral, vaginal ou anal), transfusão de sangue, materiais cortantes ou perfurantes compartilhados ou transmissão vertical (de mãe para filho) durante a gravidez ou amamentação.

Essa primeira fase é chamada de infecção aguda e se caracteriza pelo período de incubação do vírus. Os sintomas nessa fase são bem parecidos com os da gripe e incluem febre e mal-estar, o que o faz passar despercebido na grande maioria dos casos. Esta fase dura de três a seis semanas.

2ª fase – Assintomática

Nesta fase, o vírus irá sofrer várias mutações no seu corpo e o seu sistema imunológico estará lutando ativamente contra ele. Esta fase pode durar anos e não apresentar nenhum sintoma, por isso mesmo é chamada de assintomática.

IMPORTANTE: não é por que não tem sintomas que ela não pode ser transmitida. Não é possível olhar para a cara de alguém, independente da orientação sexual, e saber se essa pessoa é soropositiva ou não. Previna-se!

3ª fase – Diminuição dos leucócitos

Depois da fase assintomática, iniciam-se os primeiros sintomas. Nesta fase, existe uma alta redução dos linfócitos T CD4+ e o organismo passa a ficar bastante debilitado. Nesta fase, os sintomas mais comuns são febre, diarreia, suores noturnos e emagrecimento.

4ª fase – AIDS

Esta é considerada a fase mais avançada da doença e a pessoa já começa a sentir os sintomas da AIDS em si. Nessa fase, o sistema imunológico da pessoa infectada não tem forças para combater outros vírus e bactérias, podendo ficar suscetível às chamadas doenças oportunistas: alguns tipos de câncer, tuberculose, toxoplasmose, hepatites virais, pneumonias, entre outras. Neste estágio, o organismo pode não responder mais aos tratamentos, o que pode levar a óbito.

sintomas da aids - tratamento
Quanto mais precoce for o diagnóstico, mais eficiente será o tratamento.

Bônus: como não se pega AIDS

O pessoal do Grupo de Incentivo à Vida (GIV) é um dos mais ativos na lua contra a desinformação e o preconceito contra a AIDS e as pessoas soropositivas. Você pode conhecer mais sobre o trabalho deles aqui.

Eles elaboraram uma lista de formas que você não será infectado:

Contato físico

Dividir o mesmo ambiente com alguém que tenha o vírus da Aids, apertar a mão de pessoas infectadas ou trabalhar ao lado delas não oferecem nenhum risco.

Troca de carícias

Beijar ou abraçar uma pessoa que tenha o vírus da Aids ou manifestar outras formas de carinho e atenção a ela não oferecem qualquer risco.

Picada de insetos

Ser picado por um inseto que tenha picado alguém com HIV não representa possibilidade de infecção pelo vírus.

Saliva, lágrima, suor e espirro

O contato com saliva, lágrima, suor ou gotículas expelidas no espirro de alguém com HIV não transmite o HIV.

Banheiro, vaso sanitário, sauna e piscina

Compartilhar com alguém que tenha o vírus espaços como banheiro, vaso sanitário, sauna e piscina não oferece risco.

Copos, pratos e talheres

O compartilhamento de instrumentos e recipientes, como copos, pratos e talheres, não expõe ninguém à infecção pelo HIV.

A luta contra a AIDS também é sua

sintomas da aids - informação salva

Agora que você já conhece os sintomas da AIDS, previna-se. Use sempre camisinha e se você tiver alguma relação sexual ou for exposto a alguma outra situação de risco, busque ajuda médica imediatamente.

Curta e compartilhe informações corretas para que outras pessoas também possam vencer o preconceito e ajudar e encorajar outras pessoas a buscarem o diagnóstico e o tratamento adequado.

IMPORTANTE: apenas médicos especializados podem diagnosticar e tratar doenças e distúrbios. Não tome nenhuma medicação sem prescrição médica e evite o autodiagnóstico SEMPRE. Muitas doenças compartilham os mesmos sintomas e só podem ser diagnosticadas com a ajuda de exames. Consulte um médico sempre que notar alguma alteração no seu corpo.

Comentários

Comentários


Like it? Share with your friends!

109
14, 109 points

log in

reset password

Back to
log in